Associação Vem Ser

Formação em Psicomotricidade

Passados tantos anos do reconhecimento mundial da ciência Psicomotricidade, o Brasil veio a oficializá-la, enquanto profissão, somente numa reunião do CBO, em 12 de setembro de 2018. Nesse encontro fomos classificados no Código 2239, da família de Terapeutas Ocupacionais e Ortoptistas, recebendo o de nº 2239-15. No entanto a Lei que regulamentaria isso só foi assinada em 3 de janeiro de 2019, sob nº 13.794 e é sob ela que estamos atuando no mercado de trabalho desde então.

O que aconteceu depois disso foi uma demanda imensa de profissionais por informação e formação nessa área e para isso muitos buscaram em Cursos de Pós-Graduação essa especialidade (como estava ocorrendo anteriormente), mas sob a ameaça que para receber o título de Psicomotricista, com essa base acadêmica, só poderá acontecer até 2023, prazo que a Lei conta com o surgimento de cursos de Graduação para essa profissão.

Diante desse cenário, pensamos que é lamentável que se procure “títulos”, simplesmente. A Psicomotricidade é uma ciência do humano, em qualquer faixa etária e com essa responsabilidade o profissional que atuar com ela deverá se fundamentar de conhecimento, experiência prática, formação pessoal e acima de tudo muita responsabilidade na construção de seu ofício.

É triste ver cursos que estão esquecendo a importância da presencialidade nesse tipo de Formação e com o advento da pandemia permitiram que ela entrasse no mesmo rol de muitas outras, no formato integralmente online. Psicomotricidade é ciência do equilíbrio, do corpo, do toque, da escuta, do olhar, do acolhimento, dos afetos, da maternagem, do diálogo tônico, do prazer, do cognitivo e da unicidade humana. Como a virtualidade pode dar conta de todos esses “espaços”?

Atuar com a Psicomotricidade demanda estruturação pessoal e profissional, supervisão do outro e a grandeza do ínfimo…. como bem escreve um colega querido, Marcelo Antunes…. quando o verbo “amar” toca o corpo, ele o sensualiza, nasce o sentido do amor nas entranhas, “o desejo”, que apazigua as pulsões originárias e traz o “criançamento” da linguagem, a letra, as palavrescas, o verbar, o prazer e o amor no corpo… a gramática corporal.

Tenhamos respeito por essa formação integral necessária ao profissional PSICOMOTRICISTA, pois todos nós: crianças, adolescentes, adultos, idosos, deficientes ou não… merecemos!!!!

Compartilhe:

Facebook
Twitter
LinkedIn
WhatsApp

Autora:

Autora:

Cacilda G. Velasco

Cacilda G. Velasco

Especialista em Psicomotricidade, Titulada Especialista em Gerontopsicomotricidade pela Associação Brasileira de Psicomotricidade. Professora, Pedagoga e Profissional de Educação Física, responsável Técnica da Associação VEM SER. Vários livros publicados na área psicomotora e diferentes atuações acadêmicas com cursos, congressos, mesa redonda e atuação desde 1984 em Terapias Psicomotoras na Água.

Site
Cacilda G. Velasco

Cacilda G. Velasco

Especialista em Psicomotricidade, Titulada Especialista em Gerontopsicomotricidade pela Associação Brasileira de Psicomotricidade. Professora, Pedagoga e Profissional de Educação Física, responsável Técnica da Associação VEM SER. Vários livros publicados na área psicomotora e diferentes atuações acadêmicas com cursos, congressos, mesa redonda e atuação desde 1984 em Terapias Psicomotoras na Água.

Site

Mais artigos

“pérolas” de Vitor da Fonseca

Durante esses últimos 40 anos me honro de ter sido aluna dessa referência mundial em Psicomotricidade que é o professor Vitor da Fonseca. De inúmeros

Decálogo de um Gerontopsicomotricista

1. Quando um Gerontopsicomotricista se capacita, ele também reconstrói sua história de aprendizagem. 2. Um Gerontopsicomotricista não brinca, simplesmente, ele introduz o bom humor em

Alfabeto Psicomotor

Aprendizagem só pode ocorrer se não houver Bloqueios físicos, motores e/ou emocionais Comprometendo e até impedindo o bom Desempenho, na criança, do seu Esquema corporal.Este

O que é ser um Terapeuta

Aquele que trabalha com as mãos é um artesão! Aquele que trabalha com a mente é um sábio! Aquele que trabalha com a inspiração é

Representante Mundial

Prof. Dr. Rui Fernando Roque Martins

Professor Associado na Faculdade de Motricidade Humana (FMH) da Universidade de Lisboa (UL)
Docente na licenciatura em Reabilitação Psicomotora e Coordenador do Curso do Mestrado em Reabilitação Psicomotora, da FMH – UL
Membro fundador e delegado português do Fórum Europeu de Psicomotricidade
Delegado Português da Organização Internacional de Psicomotricidade e Relaxação desde 1989.
Honoris Causa pela Organização Internacional de Psicomotricidade e Relaxação, pela contribuição para o desenvolvimento Internacional da Psicomotricidade
Membro fundador e Presidente da Associação Portuguesa de Psicomotricidade.